[ A DESDITA REAL QUE O SALÁRIO TRAZ ]

A DESDITA REAL QUE O SALÁRIO TRAZ

Por Nilton Manoel

Ao ver o operário triste, amargurado,

Pensando no mínimo de cada mês,
Não sei o que penso com ele nesse fado,
Pronto para a miséria… eterno freguês!

E a gula em campanha dando o seu recado
libera o político na ânsia de burguês
que a demagogia é áureo supermercado
e os faraós fé tem no seu javanês;

Enquanto o real salário é uma vergonha,
ofensa ao homem honrado e de valor,
a família sonha com tudo que sonha…

Todo homem que luta contra os cegos nós
que o mixo salário dá, traz vida e fulgor
aos mordomos, marajás e faraós…

 

Veja outras obras de Nilton Manoel:

» O PÁRIA
» SEMPRE A MESMA CARTILHA¹
» OS NÓS DO SALÁRIO QUE É DE TODOS NÓS
» A DESDITA REAL QUE O SALÁRIO TRAZ
» VIVA A FOME