[ DR. DURVAL DE NORONHA GOYOS JR.É REELEITO E TOMA POSSE NA UBE ]

31.03.2017

Novidades na entidade trarão ainda mais visibilidade para a produção intelectual dos associados.

São Paulo, 30/03/2017. Tomou posse na noite do dia 28 de março de 2017, a nova diretoria da União Brasileira de Escritores. Diversas personalidades do mundo cultural estiveram presentes na sede da entidade para prestigiar a ocasião e conversar sobre assuntos como a premente necessidade de mais e intensos investimentos em educação, a situação política nacional e literatura brasileira.

Citando Pushkin, Dante, Shakespeare, José de Alencar, Machado de Assis e outros importantes escritores mundiais, Aldo Rebelo, recém empossado presidente do Conselho Consultivo da entidade falou da importância dos escritores, pois com seu ofício eles ultrapassam as fronteiras da cultura e da literatura para forjar a identidade e o sentido de permanência das nacionalidades. “Cabe destacar ainda, que nos tempos sombrios que atravessamos, de predomínio de culturas materialmente mais fortes e dotadas de meios superiores de influência sobre as demais culturas, os escritores nacionais como que reafirmam a cada obra editada, senão com a própria existência, a presença da literatura nacional, da cultura nacional e, portanto, da Nação”. Rebelo ainda ressaltou a responsabilidade da UBE, de seus dirigentes e dos escritores brasileiros, de defender e proteger a literatura nacional, e por esta via, a própria soberania da Pátria. “Que a inspiração dos grandes escritores brasileiros se faça presente em cada um de nós”. Ver a íntegra no discurso.

Ao assumir a presidência da entidade, Durval Noronha conclamou o país a defender o combate à corrupção e a transparência na condução da República “pois estes são componentes da construção e fortalecimento da democracia, e jamais devem ser utilizados para atender a interesses políticos e pessoais alheios à defesa do interesse público e contrários aos preceitos constitucionais”. Diante do grave quadro político do país, das ameaças às regras democráticas e à conduta ética, pela continuidade do Estado Democrático de Direito, é preciso respeito às leis, perseverança na defesa dos direitos individuais, sociais e coletivos, respeito ao voto popular e rejeição pela sociedade de quaisquer formas de retrocesso” disse ele.

Noronha ressaltou ainda que o Estado Democrático de Direito está fragilizado, e este é o também um resultado direto da precariedade do nível educacional e cultural da maioria da população brasileira. “O baixo nível educacional compromete qualitativamente a democracia na medida em que não permite a formação de cidadãos com capacidade analítica, crítica e transformadora perante o cenário social e político do País, relegando-lhes à condição de meros e alienados espectadores. Torna-se assim a cidadania presa fácil dos interesses escusos tanto internos quanto externos.”

A educação de qualidade não deve ser tratada como um privilégio, mas sim, como um direito inafastável, sem a qual não há democracia. Não se pode afastar das ideias de democracia, ética e cidadania o elemento educação, instrumento de transformação social.

Deste modo, mais do que nunca, é imprescindível o aprimoramento e reafirmação das políticas públicas voltadas à educação, porquanto dever irrenunciável do Estado. A educação igualitária e de qualidade é a única forma de garantir a formação das habilidades viabilizadoras da participação influente, construtiva e transformadora do povo na sociedade, e o exercício da cidadania consciente de atos e decisões, e deve constar de um projeto de nação e estar acima dos governos.

Noronha finalizou conclamando a todos em nome da UBE assumam a promoção de uma educação universal de qualidade, adoção da conduta ética por todos, análise crítica e à luta pela reafirmação da nossa democracia e por um Brasil justo, forte e soberano. Ver íntegra do discurso.

Foram anunciadas também mudanças no prêmio Juca Pato que passará a ter uma atuação mais ampla com prêmios para a literatura infantil, crônicas, romance e poesia. Noronha anunciou ainda a possibilidade dos associados escritores da UBE participarem da Feira do Livro de Lisboa que, este ano, abriu espaço para 10 escritores da UBE ao custo individual de participação de R$ 600,00. Ainda há vagas abertas.

Próximos eventos da UBE

A UBE também terá um espaço no Salão do Livro de Lisboa e conta com 10 vagas abertas aos interessados sendo que a taxa de inscrição é de R$ 550,00. Haverá ainda uma missão de escritores brasileiros à China em outubro deste ano que terá a ajuda do governo chinês encarregado de patrocinar estadia e transporte interno naquele país. São 7 vagas disponíveis para esta missão.

Além disso, o Site da UBE está disponibilizando uma área para publicação de resenhas, resumos de obras e outra área intitulada Espaço do Escritor dentro da qual estarão informações sobre os escritores associados e lançamentos de livros.

O próximo almoço será sobre O Vinho na Literatura Portuguesa. Em breve detalhes sobre o evento.