imagem ilustrativa

Autor Jean Pierre Chauvin

O Alienista - A Teoria dos Contrastes em Machado de Assis

O Alienista assume dentre os contos de Machado de Assis importância análoga a que algumas de suas personagens representam para o gênero, particularmente a figura do médico e cientista Simão Bacamarte. O tema nuclear - manifestação da loucura - constitui expediente eficaz para captar a atenção dos leitores, que, uma vez cativados, são conduzidos a uma segunda e mais grave leitura dos critérios sobre a exclusão de determinados indivíduos e disputas disparatadas pelo poder. Após a publicação em Papéis Avulsos (1882), o conto seria incorporado a numerosas coletâneas organizadas por pensadores brasileiros e estrangeiros que, de maneira geral, deixaram capítulos introdutórios importantes em que são oferecidas várias pistas para novas interpretações.Resultado de seis anos de trabalho sobre O Alienista, de Machado de Assis, A teoria dos contrastes radiografa o mundo tresloucado de um médico louco-sábio em seus experimentos com o divertido material humano da província brasileira. Ao modo de um analista, acompanhando rigorosamente os passos dúbios das personagens, o autor resgata a contribuição de diversos estudiosos e sugere uma interpretação afinada com a proposta de desvendar paródias e charadas neste, que é um dos contos mais impressionantes da obra machadiana. Numa sorte de narrativa em espiral, o médico clinica, sob os caprichos do narrador, as inconstâncias dos cidadãos de Itaguaí: autêntica miniatura trágico-cômica do Universo, este, em última instância, tablado de Machado.

 

Reis Editorial, 175pp, 2005.

 

Veja outras obras de Jean Pierre Chauvin:

 
Voltar Imprimir Enviar para um amigo
 
PUBLICIDADE
 
Imprensa Oficial
Escola Paulista de Direito
Academia Paulista de Letras

Tel: (11) 3231-4447
Telefax: (11) 3231-3669
E-mail: ube@ube.org.br