Autor Paulo Moriassu Hijo

Deus não é Criador de tudo

Deus Não É Criador de Tudo

Imagine um brasileiro nos Estados Unidos. Ele conhece um americano, que o convida para ir até a casa dele, para um copo de café. Agora, coloque-o em um país Árabe, onde também lhe é servido uma xícara de café. Depois do café árabe, ele viaja para o Japão. Imagine o brasileiro sentado no tatame, tomando um copo grande de café com uma família japonesa em um dia quente de verão. Depois de cada café, o anfitrião pergunta ao visitante se gostou do café.
Se o brasileiro respondeu a cada um deles afirmativamente, há uma grande possibilidade de que tenha mentido. Explico: o brasileiro gosta de um café passado no coador de pano, bem quente, nem tão forte nem tão fraco e com açúcar. Acontece que, nos Estados Unido, eles fazem um café tão fraco que tomam em copos. É um café detestado pelos brasileiros, que o chamam de chafé. Os árabes tomam em grandes xícaras sem coar, quente e sem açúcar. É uma bebida muito forte. Os japoneses apenas fazem um caldo ralo de café e, no verão, consomem a bebida gelada.
O brasileiro disse que gostou de todos os tipos de café só para se mostrar educado. Mas é provável que tenha mentido, pois foram preparados de modo bem diferente do que está acostumado. Ora, de onde vem a sua mentira? Da boa maneira. Sabe-se que, numa casa que bem recebe um visitante, dizer que não gostou de algo, é demonstrar uma má educação. Portanto, se as pessoas mentem, a mentira existe. Mas Deus não mente. Então, a mentira não é criação de Deus. É criação do homem.
Mas, se alguém está querendo comprar um CD do seu cantor favorito ou um DVD de filme, mas, por causa do preço elevado, opta por produtos piratas, ele erra. Ora, se cometeu um erro, o erro existe. Mas quem criou o erro? Não pode ser Deus, pois Deus não erra. Então, o erro só pode ser inerente aos seres humanos.
Há quem diga que a violência é consequência da pobreza. É uma ideia puramente equivocada. O que temos observado, é que o padrão financeiro do brasileiro vem melhorando ano a ano. Hoje, no Brasil, há mais bilionários e milionários do que há vinte anos. A classe média aumentou e há menos pobres e miseráveis que uma década atrás. No entanto, ainda é grande o número de assassinatos e roubos. Cometer algo contra a lei, é cometer crime. Se se comete crime, crime existe. Mas crime não pode ser criação de Deus, pois Deus não é criminoso.
Imagine um brasileiro em uma festa japonesa. A ele é servido peixe cru (sashimi), coisa esquisita para ele. Faz uma cara de que não experimentou e não gostou. Ora, se não comeu, como pode não ter gostado. Mas ele não comeu e não gostou. Então, se não experimentou, como é possível ele saber se é bom ou não? Se não sabe, não conheceu o sabor do sashimi. Ele deixou de comer por desconhecimento. Se ele desconhece, o desconhecimento existe. Mas desconhecimento não vem de Deus, já que, Ele é onisciente. Assim, as coisas ruins dos homens são do próprio homem. Conclui-se, então, que Deus, por sua magnanimidade, é a fonte apenas de tudo que há de magnânimo e que se encontra entre os homens.
 

 

Veja outras obras de Paulo Moriassu Hijo:

 
Voltar Imprimir Enviar para um amigo
 
PUBLICIDADE
 
Imprensa Oficial
Escola Paulista de Direito
Academia Paulista de Letras

Tel: (11) 3231-4447
Telefax: (11) 3231-3669
E-mail: ube@ube.org.br