Autor Amália Grimaldi

Poemas de Amália Grimaldi

Tundras macias do mundo lilás

Quanta paixão
Sem medo de ser feliz
Sinto-me grata – merecida
Impensável possibilidade
De aí estar
Onde nunca estivera
Tundras macias do mundo lilás
Especial, aliás – contento-me
Tanto faz aqui ou no estrangeiro
Meu pai era um padeiro galego
E meu avô cuidava da vela acesa
Para que não se apagasse
A sua Sefarad ao retorno
Seu tempo de ferro fundido
E da sua portinhola aberta ao lilás.
(Autor: Amália Grimaldi do livro de poemas “Por onde Ser")

Premonição cigana


Aquela que me lia
Irmã da outra
A que me sorria
Roda de saia
Lenda de céu
Seu anel de prata
 

Ausente respaldo
Desdobro estandarte
A glória desse tempo
Ao sol azul de quando
Premonição de cores
Recorte à sombra
Pairando ao deixado
Minha lua de papel.
(Autor: Amália Grimaldi, do livro de poemas “Por onde Ser”)
 

 

Ausente respaldo
Desdobro estandarte
A glória desse tempo
Ao sol azul de quando
Premonição de cores
Recorte à sombra
Pairando ao deixado
Minha lua de papel.
(Autor: Amália Grimaldi, do livro de poemas “Por onde Ser”)
 

 

Ausente respaldo
Desdobro estandarte
A glória desse tempo
Ao sol azul de quando
Premonição de cores
Recorte à sombra
Pairando ao deixado
Minha lua de papel.
(Autor: Amália Grimaldi, do livro de poemas “Por onde Ser”)
 

Mediocridade confortável

De longe a voz do mercado
O barulho das correntes
O grande portão de ferro
Na calçada vazia o silêncio óbvio
Dormem os bêbados
Sonsos
Vagam gatos mansos
Pisam macio
Adorno de noite escura
 

 

Veja outras obras de Amália Grimaldi:

 
Voltar Imprimir Enviar para um amigo
 
PUBLICIDADE
 
Imprensa Oficial
Escola Paulista de Direito
Academia Paulista de Letras

Tel: (11) 3231-4447
Telefax: (11) 3231-3669
E-mail: ube@ube.org.br