imagem ilustrativa

Autor Mouzar Benedito

Trem doido

"Mineiro gosta mesmo de trem. Não tem jeito. E chama tudo de trem: refere-se a panelas e pratos como trens de cozinha, doença é um trem e o remédiom também

é (um mineiro piorava de saúde e me dizia que teve um trem esquisito, mas depois tomou um trem que o farmacêutico receitou e ficou bom). Já vi gente comprar trem de escritório, trem de matar mosquito, trem de tudo quanto é tipo. Mulher bonita é trem bão ou trem doido.

Como diz a piada, mineiro só não chama uma coisa de trem: o trem, quer dizer, o trem de ferro. Contam que uma familia esperava o trem numa estação mineira e, quando ele apontou se aproximando da estação, o homem falou pra mulher:

- Mulher pega os trens que lá vem o baita."

Neste livro, Mouzar Bendito relata histórias de andanças de trem pelo Brasil adentro, memórias de sua infância mineira, casos do curso de Geografia da USP, seu encontro com a poetisa Cora Coralina, com pessoas que passaram pela sua vida na profissão de jornalista e, assim, forma um rico painel da diversidade cultural brasileira, sempre com muito humor e a radicalidade dos revolucionários de alma. 

 

   

 

Veja outras obras de Mouzar Benedito:

 
Voltar Imprimir Enviar para um amigo
 
PUBLICIDADE
 
Imprensa Oficial
Escola Paulista de Direito
Academia Paulista de Letras

Tel: (11) 3231-4447
Telefax: (11) 3231-3669
E-mail: ube@ube.org.br