MULHER EMUDECIDA / Maria Mortatti

Maria Mortatti articula 20 contos escritos entre 1979 e 2012. Dão voz a uma mulher emudecida que representa milhares de outras mulheres sem nome, silenciadas, exploradas e oprimidas pelo poder masculino num mundo androcêntrico, de cujos rígidos modelos de conduta [...] só se safam as que, como a personagem central destes contos, conseguem desbravar, ao longo da vida, um caminho de autognose que lhes permita resgatar a sua identidade própria no âmago de si mesmas e não em qualquer ilusório amante ideal. No caso desta mulher que aqui podemos acompanhar desde a infância e a adolescência até à vida adulta, a literatura surge como imprescindível instrumento de libertação, [que] não se dá num piscar de olhos: o caminho é tortuoso e deveras doloroso; só depois de levar muito sopapo a personagem envereda pela via da liberdade. Este livro desnuda a violência do patriarcado ao mesmo tempo em que exibe, no canto da boca da mulher emudecida, o riso ambíguo e triunfante da Gioconda. Seja bem-vinda, Mulher emudecida! Que a sua palavra venha para ficar. 

Renata Soares Junqueira

Este é o primeiro livro da trilogia Essa mulher composta de: Mulher emudecida (contos), Mulher umedecida (poemas) (Scortecci: 1ª ed., 2020; 2ª ed. rev. e ampl., 2021) e Mulher enlouquecida (em elaboração). Neste que agora se publica, têm-se 20 contos escritos entre 1979 e 2012. A sequência em que são apresentados propicia acompanhar o processo de emudecimento a que a protagonista é submetida por agentes e padrões de comportamento familiares/sociais, ou a eles se submete por assimilação ou aceitação resignada, e suas tentativas de emancipação por meio da conquista do direito à voz. Submissão e autossubmissão podem ser entendidos como processos de assujeitamento-desumanização-desfeminização relacionados entre si e com o lugar imposto à mulher na sociedade brasileira, em especial no século XX. No entanto, mesmo submetida recorrentemente ao emudecimento, sua voz interior continua passionalmente viva, assim como a resistência à capitulação. A busca incessante da protagonista de Mulher emudecida e sua dúvida final encontram altissonante ressonância – não desfecho – na do livro Mulher umedecida. Embora possam ser lidos em qualquer sequência, o projeto da trilogia pode ser mais adequadamente compreendido quando se lê a emudecida antes da umedecida e estas, antes da enlouquecida. As narrativas se desenvolvem em torno de mesmo eixo temático – a jornada de autoconhecimento da mulher por meio do vínculo com o outro – cujo movimento, em vórtice, com recuos e avanços no tempo, é desencadeado por recordações de vivências íntimas da protagonista como se tiradas do obscuro silêncio. Ser lida, portanto, é o desejo da mulher a quem dedico este livro, como um pedido de perdão por tê-la feito esperar tanto tempo para ser ouvida.
Maria Mortatti.

SERVIÇO
Mulher Emudecida / Maria Mortatti
Scortecci Editora
ISBN 978-65-5529-380-7
Contos - 14x21cm - 96 páginas
R$ 35,00

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home