EIS-ME / Fernando Dezena

Primeiro livro em prosa do poeta FERNANDO DEZENA, sem temática única, como proposta para uma leitura prazerosa. A maioria dos contos são breves para também facilitar a leitura, sem no entanto perder a qualidade. O trabalho que dá título ao livro foi um desafio do Desembargador José Pedro, amigo da família, para dar personalidade a um cadáver que avistou dentro da represa do Taquaral em Campinas. Também “O Ponto”, tema desafio feito pelo irmão Luiz José, ganhador de vários prêmios literários. Poderia fazer referência a outros belos contos que compõem o trabalho, mas é certo que o leitor saberá fazê-lo a sua maneira.

Fernando Dezena:
Nasceu a 10 de novembro de 1960 na cidade de Águas da Prata, SP, é filho de Luiz Tôrres da Silva e Luiza Dezena da Silva. Casado com Luciane Campopiano da Silva, também de Águas da Prata, há 23 anos, têm os filhos Lucas e Letícia. Trabalha no mercado financeiro desde fevereiro de 1981, exercendo sua atividade atualmente na cidade de São Paulo, onde reside no Bairro da Mooca. A sua formação acadêmica é Bacharel em Direito pela UNIFEOB, colando grau no ano de 1981 e MBA em Administração de Empresas com ênfase em Banking pela FGV- Rio e MBA em Gestão de RH pela UNIP campus Santos.
A atividade literária, em especial a poesia, sempre teve papel importante em sua vida, escrevendo ininterruptamente desde a adolescência. Outro gênero literário a que se dedica é o conto, tendo ganhado vários prêmios literários. A crônica foi esporádica durante a juventude, no entanto, a partir de 2008, colabora semanalmente para a GAZETA DE SÃO JOÃO, além de manter com grande regularidade um blog e página no Facebook com mais de 20 mil seguidores.
O seu livro de estreia foi RUPTURA (1991), prefaciado pelo poeta, cronista e contista Ademaro Prezia, membro da Academia de Letras de São João e com capa da artista plástica sanjoanense Angela Bonfante. Livro este de temática única, traz as preocupações na juventude com os graves problemas sociais que vivia (e) o Brasil. Antes, porém, já havia compilado as poesias até então escritas no livro ADEUS ISQUEMIA (1985) não publicado. Concomitantemente com as poesias do livro RUPTURA escreve a história infantil PERI A BALEIA (2001) também com ilustrações de Angela Bonfante. A vida profissional o leva a mudar-se com a família para São João da Boa Vista. Nesta fase reúne poesias de diversos temas e épocas sob o título DATAS, poesias perdidas (2001). A inspiração para o quarto livro de poesias vem à época em que trabalhou em Indaiatuba (2001), com temática diferente, escrevendo uma poesia para cada irmão, para o pai e a mãe e permite-se um lirismo intenso até então não experimentado (cobrança feita outrora por Ademaro Prezia). Está neste livro o poema VIA CRUCIS ganhador do prêmio literário no ano de 2005 promovido pela UNIFEOB e escolhida para ser declamada em apresentação pelos alunos do curso de letras da Fundação. O livro recebe o título de VIA CRUCIS, CATAPULTA poemas em família e outros poemas (2003). Transferido para trabalhar na Baixada Santista continua a escrever e publica o livro CASA E GUARDANAPOS (2007), onde, influenciado pelo clima diferente da região costeira, permite-se uma poesia com leveza. Neste mesmo ritmo publica CATARINA ruas e rios (2010). Em 2010 vai trabalhar em São Paulo e muda-se para a Mooca. O peso da cidade de São Paulo volta a trazer a angústia ao seu trabalho poético expresso no livro SILÊNCIO e outros apartamentos (2012), uma análise da solidão humana diante da metrópole. Publicou em 2018 o livro de contos EIS-ME.

SERVIÇO:
Eis-me
Fernando Dezena
Chiado Books
ISBN 9789895187089
Contos - 14 x 21 cm - 150 páginas
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home